taquicardia

  • O que é taquicardia (palpitação)?

    Palpitação gera grande procura pelo cardiologista tanto no pronto socorro quanto no consultório. A palpitação é preocupante pela possibilidade de ser uma arritmia. Muitas vezes, o paciente com palpitação ao ser avaliado já está assintomático e a conclusão diagnóstica não é fácil. Até que se prove o contrário, a principal hipótese frente a um paciente com palpitação é arritmia. A história e o exame clínico são fundamentais nos casos de palpitação na tentativa de diferenciar a possível arritmia e/ou constatar se há gravidade. A maioria dos casos de palpitação não é definida a causa ou são arritmias benignas sem perigo à vida.

    O que é arritmia? O coração possui um ritmo constante, mantido por impulsos elétricos gerados em uma região específica do coração chamada nó sinusal. Esses impulsos elétricos se propagam pelo coração despolarizando as células miocárdicas que se contraem ritmadas, chamamos cada ciclo desse de batimento cardíaco. Qualquer alteração ao longo desse trajeto de propagação do estímulo elétrico pode alterar o ritmo cardíaco (arritmia), alterando os ciclos dos batimentos e levando o paciente a sentir palpitação.

  • Palpitação x Arritmia. Como avaliar ?

    As arritmias podem ser classificadas em taquiarritmias (distúrbio do ritmo com aumento da frequência cardíaca) e bradiarritmias (distúrbio do ritmo com redução da frequência cardíaca). Palpitação é o principal sintoma das taquiarritmias. Bradiarritmias não costumam causar palpitação.

    Pessoas com queixa de palpitação devem ser avaliadas por um cardiologista, ser submetida a história e exame clínico detalhados e realizar exames complementares. O principal exame é o eletrocardiograma de repouso. Se o resultado for inconclusivo, devemos aprofundar a avaliação com outros exames tais como Holter de 24 horas, teste ergométrico, ecocardiograma e exames de sangue.

Entre em contato e agende uma consulta

Agendar Consulta